sexta-feira, 30 de setembro de 2011

é forte meu amigo , mais é a realidade ... com Deus podemos ir além (y)


' Pra não pensar na falta, eu me encho de coisas por aí. Me encho de amigos, bares, livros, músicas...'

"Eu não estou me reconhecendo, mas estou me observando.
Não estou alegre como de costume, mas também não estou triste.
Contemplar o coração também é uma estrada que deve
dar em algum lugar melhor."


um dia isso vai servir pra mim ... tenho fé (yn)



Fazia muito tempo que eu não tinha vontade
de sorrir para nada nem para ninguém .
então era extraordinário que ela conseguisse
pertubar assim os cantos do meus lábios .

quarta-feira, 28 de setembro de 2011


“E” e “Se” são duas palavras tão inofensivas quanto qualquer palavra, mas coloque-as juntas lado a lado, e elas tem o poder de assombra-lá pelo resto da sua vida. E se? E se?
 Cartas para Julieta

muito , mais muito meu

Ela anda carente.. carente de amigos, carente de atenção, carente de amor, carente de felicidade.”

um dia alguém ainda fala isso pra mim *---*


Deixa eu te dá o meu amor?
 Deixa eu te dar motivos pra me amar?
Deixa eu ocupar seu coração?
 Deixa? Não custa muito, só deixa. 

Talvez um dia a gente aprenda a dar mais valor pro que nos trás paz e menos valor pro que trás renda!

Não tive sorte, eu tive vontade!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

~* Não quero ser quem te trás mais um problema.
Não quero ser quem te prende num dilema…
 Corre teu caminho e vá pra onde der. Eu fico de pé sozinha, esteja onde estiver. Quero te ver bem se não der mais certo, quero te ver bem mesmo sem poder estar por perto.
Não quero ser quem te esconde a verdade.
Não quero ser quem te rouba a liberdade.
Segue teu destino e seja quem quiser! ~*

- Pra onde você vai?
- Se der sorte, em frente.
 Ratatouille


Julgamo-nos tão espertos, tão analíticos, tão maduros e, no final das contas, somos todos formados por medos, inseguranças e sonhos.

sábado, 17 de setembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011


Eu to ainda muito inseguro de mim mesmo, e não acreditando absolutamente que alguém possa me curtir bem assim como eu sou.
                      - Caio Fernando Abreu


Eu tenho medo do tempo. De quem ele leva e do que ele apaga.

domingo, 11 de setembro de 2011


“Você me pergunta “sairei do buraco?”. Sairá, sim. Sairá brilhantemente.
As coisas agora vão começar a acontecer, é meio tipo ímã, uma coisinha vai magnetizando outra e outra e outra, você vai ver.” 

Mesmo quando não temos certeza para onde iremos, é muito bom saber que não estamos indo sozinhos.

sábado, 10 de setembro de 2011


Lutar em segredo, fechado no quarto, sem que ninguém saiba.
Para os outros, mostrar só o melhor de si, a face mais luminosa.


Não se pode ser infeliz, não se pode morrer em vida, não se pode desistir de amar, de criar.
Não se pode: é pecado, é proibido.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011


Se não houver reciprocidade, não há nada.
Não sei mais sentir sozinha.
O tempo me ensinou isso.
Não combina mais comigo !

Ando assim, descontínua, exaltada, confusa.
 Mas sempre com um carinho enorme por mim mesma, com amor.
Rezo, tenho fé.
 Tudo bem que estou perdida, mas um dia eu me encontro.

A vida é incontornável. A gente perde, xinga, sofre calado, é esquecido, mas esquece também, chora, sorri, caímos e levantamos. Somos passados pra trás, ficamos no passado. Dói, e dói demais. Mas daí passa, e ficamos curados.

Quem eu sou com você depende de quem você é comigo !

uma coisa que aprendi , é que sempre passa !


Depois de tudo, me ficaram só coisas boas.
Uma lembrança enorme de você, de mim, de nós, da gente.
 Vai dar saudade, e vai doer.
Mas como tudo, faz parte.
E depois passa !
 
(…) Mas a gente nunca pode julgar o que acontece dentro dos outros…

quarta-feira, 7 de setembro de 2011


(…) Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca..
Oswaldo Montenegro


Tudo passa... Chuva passa... Tempestade passa
Até furacão passa...
Difícil é saber o que sobra..."


"O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Nasci para poucos e morro por quase ninguém. Contradigo-me em passos de dança invisíveis, enlaçando pernas e prendendo bocas, querendo muito e gostando tão pouco. Não é insatisfação ou sofrimento, é só um tudo ao mesmo tempo agora que não respeita amor de menos, não aceita um gostar pouquinho e querer às vezes. Uma intensidade que não se conforma com noites únicas de começo, meio e fim. Se estou aqui é pela música, pela companhia, pra me perder. Jamais pra desperdiçar uma noite com quem não sabe conversar.
Não me pergunte o que eu faço da vida, isso é banal, é triste, é comum. Queira saber o que me faz feliz, meu ponto fraco pras cócegas. Não pergunte o que me dá dinheiro, porque este é o menor dos meus sucessos. Esqueça meu nome verdadeiro, se eu venho sempre aqui, se estou gostando da música. Agir sem naturalidade é o seu maior fracasso.

Se é mesmo importante que eu responda as perguntas que tanto desprezo, se definir o que sou vai te fazer mais feliz, se quer mesmo saber de mim, comece pelas entrelinhas. Pelo não dito. Pelo movimento dos cílios e as pupilas dilatadas, os olhos nervosos que não se fixam, o modo de apoiar o peso do corpo em uma das pernas e me preocupar com o cabelo. Olhe para as mãos que não sabem repousar e a voz que desafina. Por favor, sou tão ridiculamente fácil de decifrar e ainda insistem em seguir pelo caminho errado. Exponho-me tanto e ainda querem uma cartilha.

E fazem isso porque amam de relance, querem no momento e só por desafio. Porque têm preguiça ou medo de cumplicidade e acreditam perder a noite se optarem por se apaixonar pelo próprio ego. Porque perdem oportunidades de se calarem quando é papel dos olhos falar.
É por isso que eu estou sozinha nesse mundo de luzes e pessoas. É por isso que eu saio de casa e minha roupa não precisa agradar ninguém além de mim. Porque não deixo o calor da minha rotina pra ser prenda em vitrine.

O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Mas se quiser mesmo saber de mim, experimente não me perguntar. E talvez assim desperte minha vontade de contar."

terça-feira, 6 de setembro de 2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011